• Cursos
  • Escolas
  • Site
  • Aprendizagem Industrial
  • Cursos Livres
  • Cursos Tecnicos
  • Faculdade
  • Pós-Graduação
  • Capital
  • Grande São Paulo
  • Interior

SENAI-SP disponibiliza plataforma digital para volta às aulas não presenciais

A A A

45 mil alunos passam a receber conteúdo por meios digitais a partir de 11 de maio

08/05/2020

A partir de 11 de maio, próxima segunda-feira, os alunos da rede SENAI-SP voltam às aulas de forma não-presencial por meio da plataforma Moodle para cursos on-line.

Desde meados de março, quando surgiram os primeiros sinais de que haveria uma situação de afastamento social determinada pelos órgãos competentes, uma equipe formada por especialistas multidisciplinares em diversas áreas, coordenados pela Gerência de Educação (GED), o Centro SENAI de Tecnologias Educacionais (CSTE), com apoio da Gerência Sênior de Tecnologia da Informação (GSTI), deu início ao planejamento de uso das tecnologias para aulas nessa modalidade de ensino.

Na plataforma, há uma série de ferramentas digitais integradas, que proporcionam ampla experiência didático-pedagógica a professores e alunos. Com isso, os docentes podem explorar ao máximo as estratégias de ensino para diversas áreas de atividades profissionais, tais como: encontros virtuais ao vivo, viabilidade para trabalhos colaborativos, avaliação de acordo com a Metodologia SENAI de Educação Profissional (MSEP) e uso de diversos materiais didáticos.

Por parte dos docentes do SENAI-SP, já existe uma cultura digital e uma rotina de uso de tecnologias nos ambientes educacionais e, por consequência, os alunos já estão imersos nesse universo. Ainda assim, para complementar tais conhecimentos, foram estruturadas capacitações que serão realizadas com a equipe educacional remotamente. Também foi criada uma rede de apoio para o desenvolvimento das aulas remotas, com plantões de dúvidas, para proporcionar um ambiente cada vez mais colaborativo.

Cerca de 45 mil alunos dos cursos Técnicos, de Aprendizagem Industrial e Superiores acessarão a plataforma, seja por meio de computadores, celulares ou tablets, até que as autoridades indiquem a normalização das atividades.