• Cursos
  • Escolas
  • Site
  • Aprendizagem Industrial
  • Cursos Livres
  • Cursos Tecnicos
  • Faculdade
  • Pós-Graduação
  • Capital
  • Grande São Paulo
  • Interior

Manufatura 4.0 é novidade na Colombiatex. Ponto alto foi participação do Senai-SP com forte inovação tecnológica na área têxtil

A A A

Em feira internacional, Senai-SP demonstra como é possível produzir uma peça de roupa 18 minutos após a compra, sob medida, e ainda fazer a entrega by drone

08/02/2019

 

Agência Indusnet Fiesp

A 31ª edição da Colombiatex, uma das feiras de negócios mais importantes da área têxtil, apresentou tendências e possibilidades de modernização do setor para a América Latina. Realizada em Medellín (22 a 24/1), reuniu três grandes eixos - negócios, moda e conhecimento -, mas um dos auges do evento foram as tecnologias introduzidas pela indústria 4.0.

O Brasil contou com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), levou a maior delegação, e foi um dos protagonistas com a presença de 39 indústrias representativas da área têxtil. Como um dos principais produtores têxteis do mundo, o forte atrativo brasileiro foi a mostra virtual da indústria 4.0 desenvolvida pelo SENAI-SP, Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT) e Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ).

A “Colombiatex é o melhor cenário para mostrar à América Latina os avanços e as tecnologias relativas à produção têxtil e de confecção”, disse Rafael Cervone, vice-presidente da Fiesp e do Ciesp, que levou a Medellín a tecnologia mais moderna da 4ª Revolução Industrial, além de uma experiência de realidade virtual.

“Contamos com uma tela virtual que capta a imagem do cliente, este escolhe o modelo, a estampa, o desenho da roupa e a costura ficam por conta de um robô. Após recolher esses dados, em apenas dezoito minutos se conclui a produção da peça, no Brasil, e delivery by drone em menos de duas horas, ou seja, entrega garantida no mesmo dia. Ou seja, o vestuário é produzido após a compra efetuada pelo cliente”, explicou o dirigente.

“A nova manufatura é disruptiva e terá impacto mundial”, avaliou Cervone, “pois agiliza o processo, traz mais produtividade e elimina dois grandes problemas, a logística e o estoque” porque só se produz sob medida após a compra. Então, é possível produzir em qualquer ponto do Brasil e distribuir no mundo todo com essa manufatura avançada.

Também ocorreu uma visita virtual às instalações das plantas já instaladas de manufatura 4.0 no Brasil, sendo uma unidade em São Paulo e a outra no Rio de Janeiro.

Resultados - A Colombiatex 2019 se encerrou com 22.482 visitantes, a maioria potenciais compradores de produtos têxteis, máquinas e insumos. Foram movimentados US$ 481 milhões. O setor têxtil representa 8,5 % da indústria manufatureira da Colômbia, de acordo com a Inexmoda, empresa organizadora do evento. Com a participação de cerca de 600 marcas, 40% delas internacionais, destacaram-se a participação do Brasil, Índia e Espanha, quase 15 mil compradores, 13 mil nacionais e 1.800 internacionais provenientes de 61 países.